O Cinema da Villa vai exibir o documentário Até Que o Porno Nos Separe

No dia 4 de Maio, às 16h30, O Cinema da Villa vai exibir o documentário Até Que O Porno Nos Separe e contará com uma conversa pós-filme com o realizador, Jorge Pelicano, a mãe protagonista, Eulália Almeida e ainda Nuno Pinto, Presidente da ILGA.

SINOPSE
Eulália, uma mãe de 65 anos, católica e conservadora, descobriu através da internet que o seu filho, emigrante na Alemanha, tornou-se no primeiro actor porno gay português premiado internacionalmente: Fostter Riviera. O computador e o facebook como única forma de comunicação com o filho, Eulália começa uma longa jornada emocional de tentativa de aproximação ao filho, que a levará a interpretar de forma diferente as suas expectativas como mãe e os valores com que foi criada.

NOTA DE INTENÇÕES
O ponto de partida deste projeto surgiu com uma vontade de explorar o tema da pornografia através de uma perspectiva que sempre me intrigou. Sendo uma profissão que está à margem da sociedade, quis olhar para o lado familiar e perceber o impacto que as escolhas dos filhos podem ter na vida dos pais.

Durante a pesquisa do filme, em 2016, tive conhecimento da história da Eulália, uma mãe de 65 anos que vive num bairro nos arredores do Porto, cidade a norte de Portugal, e que descobriu através da internet que o seu filho Sydney era gay e ator porno. A exposição da vida do filho nas redes sociais, espelha muito daquilo que se passa actualmente na sociedade, o que também me fascinou.

O carácter e perfil da Eulália eram muito fortes, para além de uma série de elementos que tornavam a sua história improvável. Vinda de background conservador e religioso, a reacção desta mãe ao descobrir a orientação sexual e a profissão do filho foi de revolta, caindo num desgosto profundo. Eulália, depois dessa informação, paulatinamente deu início a uma jornada emocional para se aproximar e compreender o seu
filho. Essa evolução ficou registada em mensagens que ambos, mãe e filho, trocaram através do facebook desde de 2013.

A força e a complexidade destas personagens aliado com o poder das mensagens escritas do facebook deram o impulso final para querer contar esta história. Uma história não linear, que percorre o passado e o presente duma relação inconstante, entre uma mãe e o filho. Essencialmente, um história que aborda um tema transversal: até onde pode ir o amor incondicional de uma mãe pelo filho?

PRÉMIOS
– Melhor Documentário e Prémio do Público, Caminhos do Cinema Português, Portugal, 2018
– Prémio Arco-Íris, ILGA, Portugal, 2018
– Melhor Documentário, Roze Filmdagen, Amesterdão, 2019

PARTICIPAÇÃO EM FESTIVAIS
– BAFICI – Festival de Cinema Independente de Buenos Aires, 2018
– Caminhos do Cinema Português, Portugal, 2018
– JI. Lhava International Documentary Film Festival, República Checa, 2019
serbia dok# 1, janeiro 2019
– Guadalajara International Film Festival, México, Março 2019
– Puerto Vallarta International Film Festival, MMéxico, Março 2019
– Roze Filmdagen, Amesterdão, Março 2019



10.4.2019
 

Adicionar comentário