O Cinema da Villa vai exibir Chuva é Cantoria Na Aldeia Dos Mortos

No dia 23 de Março, O Cinema da Villa vai exibir uma sessão única do filme “Chuva é Cantoria Na Aldeia dos Mortos” com a presença dos realizadores João Salaviza & Reneé Nader Messora. Um filme sobre a cultura e modo de vida da tribo indígena Krahô (Brasil).

Este filme estreou na última edição do Festival de Cannes e já foi exibido em mais de trinta festivais internacionais, tendo recebido nove prémios, incluindo o prémio “Un Certain Regard” (Cannes), Melhor Filme e Cinematografia (Lima) e Melhor Realizador (Rio de Janeiro).

Em 2019, Renée viajou até ao Norte do Brasil, onde visitou a aldeia Krahô. Este povo indígena habita uma zona de terreno árido, a milhares de quilómetros de Brasília. Durante esta viagem, acabou por acompanhar um amigo que registou o final da festa de fim de luto de um líder importante da aldeia. Desde então, Renée nunca mais se afastou por demasiado tempo dos seus habitantes, tendo desenvolvido uma teia de afectos. Nestes encontros, descobriu uma partilha de ideias e filmes, com foco na imagem como forma de pensar a resistência indígena. Formaram-se um grupo de operadores de câmara: os Guardiões da Cultura Mentuwajê. Composto por jovens Krahôs que ainda hoje usam as suas câmaras como armas ao serviço da auto-determinação e reafirmação da sua identidade.

A Terra Indígena Krahô abrange 3200 quilómetros quadrados e localiza-se no nordeste do estado de Tocantins. É considerada uma das áreas mais importantes da savana preservada (Cerrado) do Brasil. Para além da sua biodiversidade considerável, o Cerrado é conhecido como o “berço das águas”, já que aí se encontram as nascentes das maiores bacias hidrográficas do Brasil.

SOBRE OS REALIZADORES:

João Salavisa
Lisboa, 1984. Formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC) em Portugal, e pela Universidad del Cine – Buenos Aires. A sua primeira longa-metragem, MONTANHA, estreou no Venice Film Festival . Critic’s Week 2015. Criada no seguimento da trilogia de curtas-metragens: RAFA (Berlinale Golden Bear 2012), ARENA (Palme d’Or at the Festival de Cannes 2009) e CERRO NEGRO. Nos últimos anos voltou à Berlinale com a curta ALTAS CIDADES DE OSSADAS e RUSSA.

Reneé Nader Messora
Nasceu em S. Paulo em 1979. É formada em Cinematografia na Universidad del Cine – Buenos Aires. Trabalhou durante quinze anos como assistente de realização no Brasil, Argentina e Portugal. Em 2009, Renée Nader Messora conheceu o povo indígena de Krahô. Desde então trabalha com a comunidade, participando na mobilização de um colectivo local de cineastas Krahô. O trabalho deste colectivo foca-se no uso do cinema como ferramenta para auto-determinação e fortalecimento da identidade cultural.

24.1.2019
 

Adicionar comentário